• Informe Popular

Sindsep-RR vai à Brasília defender interesses dos contemplados nas EC 79 e 98.

Compartilhado em 19 de Março 2019.

Por André Paz - Informe Popular



O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Roraima (Sindsep-RR), José Carlos de Oliveira Gibim, acompanhado dos sindicalistas Antonio Pereira da Silva e Rosimeire Queiroz, participou em Brasília de quatro reuniões para defender os interesses dos servidores e não-servidores contemplados nas Emendas Constitucionais 79 e 98. E no final da tarde desta segunda-feira (18/03) a Direção do Sindicato fez uma reunião na sede da entidade, para repassar o resultado das reuniões no Distrito Federal, que contou com a participação da bancada federal dos Estados de Roraima, Amapá e Rondônia e membros do Fórum Sindical dos supracitados estados.


A reunião foi presidida pelo vice-presidente do Sindsep Roraima, Gilberto Rosas, e pelo sindicalista Antonio Pereira da Silva, com a participação da Superintendente da Samf/RR, Wanda Rodrigues. Gilberto Rosas abriu a reunião informando os servidores sobre as dificuldades e desafios enfrentados pelos Sindsep-RR com a edição da MP 873, editada no dia 1º de março pelo Governo Bolsonaro, que veta a consignação da mensalidade sindical na folha de pagamento dos servidores públicos federais. Segundo Gilberto Rosas, a medida provisória é um ataque direto ao movimento sindical, com o objetivo de desmobilizar os servidores públicos e vai promover o desemprego de milhares de trabalhadores que prestam serviço no setor.


Quanto à pauta específica da reunião, Antonio Pereira da Silva informou que no dia 12 de março, os membros do Fórum Sindical, acompanhados dos parlamentares federias de RR, AP e RO participaram de três reuniões em Brasília para tratar da questão do enquadramento dos servidores contemplados na EC 79 e 98. A primeira no Ministério da Economia, a segunda com a Comissão da Câmara Federal que trata do assunto, a terceira com o Ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). E no dia 14, uma quarta reunião com a Comissão Técnica da Coordenação Geral dos Ex-Territórios.


Resumindo, Antonio Pereira afirmou que os técnicos em Brasília deixaram claro que o governo federal não decidiu nada de concreto sobre o enquadramento de novos servidores ao quadro da União, mas garantiram que as análises técnicas no Ministério da Economia continuam sem interrupção. Com relação ao artigo 6º, da EC 79, Antonio disse que em Roraima já tem 70 servidores na folha de pagamento da União e mais 60 aguardando para entrar na folha. Resta aguardar a boa vontade do governo. “Vamos continuar lutando por nossos direitos”, concluiu.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now