Buscar
  • Informe Popular

Colapso no Sistema Funerário do Pará



Yvens Rodrigues da Costa, 69, sogro do jornalista e sociólogo Ângelo Madson, da rádio Idade Mídia, faleceu de Covid-19 e seu corpo demorou doze horas para ser removido, e isto porque a secretária adjunta de Comunicação do Estado foi acionada por jornalistas e agilizou as providências junto ao IML, onde os mortos se avolumam. Toda a família teve que se abrigar nas instalações da rádio Idade Mídia para não ficar no mesmo ambiente do cadáver em decomposição, e Ângelo está isolado da esposa e dos filhos, porque provavelmente está infectado pelo novo coronavírus. O sogro faleceu em seus braços.


 Assustado, sente falta de ar, também por conta de toda a gravidade da terrível situação e está em crise de ansiedade. Todos na família precisam fazer o teste para Covid-19 e estão profundamente abalados.

Yvens morava no bairro do Curió-Utinga, em Belém do Pará, e começou a fazer uma reforma no imóvel pouco antes da pandemia. O mestre-de-obras adoeceu de Covid-19 e transmitiu a ele. Como foi assintomático, tentou tratar como gripe. Temia que a comunidade o discriminasse.


Ontem começou a se sentir muito mal, estava ficando roxo, com muita dificuldade para respirar. Levado pelo genro à UPA da Sacramenta,  tomou uma injeção e melhorou,  mas não havia oxigênio lá, e teve que voltar para casa, onde fez várias vezes aplicação de aerossol. Por volta das 3h da madrugada, Ângelo Madson perguntou se o sogro estava bem, se queria ir ao hospital, mas ele disse que não era necessário. Às 5h da manhã, ao ouvir um barulho e entrar no quarto do sogro, ele estava no chão agonizando, seu último sopro de vida foi em seus braços.

Mas o sofrimento da família estava apenas começando. De manhã, Ângelo Madson foi à delegacia de polícia fazer o necessário  BO, e lá foi informado de que o sistema público  funerário estava em colapso, e que o Instituto Médico Legal não podia nem dar prazo para buscar o corpo. Um terror.


Apelo a médicos psicólogos ou psiquiatras que atendam  a família via WhatsApp, orientando, receitando e doando a medicação necessária. Ângelo Madson, esposa e filhos precisam de atendimento profissional para enfrentar esse momento tão difícil. A Prefeitura de Belém, através da Funpapa, ficou de providenciar o sepultamento. A Sespa tem que fazer os testes para diagnóstico da Covid-19 imediatamente.


Eles também precisam de auxílio para retornar à residência, que deve passar por um processo de desinfecção. A Rádio Web Idade Mídia fica na travessa Frutuoso Guimarães, 624, telefone (91) 98338-9044. Quem puder fazer doações de itens básicos à família vai ajudar.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now